Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Ibama e Polícia Civil prendem 5 em flagrante por corte ilegal de árvores no Cajari

Cinco pessoas foram presas em flagrante, nesta quinta-feira (29), por corte e processamento de madeira ilegal na Reserva Extrativista (Resex CA) do Rio Cajari, distante cerca 30 km de Laranjal do Jari.

Além deles, também foram apreendidos duas motos usadas para o transporte dos serradores, 5 toras de madeiras das espécies Maçaranduba, Quaruba e Angelim, 2 motosserras e combustível. No local, foram destruídas as instalações estabelecidas para abrigar os serradores.

A apreensão é resultado da operação Tríplice Fronteira capitaneada pelo Instituto Chico Mendes da Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em conjunto com a Polícia Civil do Estado do Amapá, através da 1ª Delegacia de Laranjal do Jari.

A operação visa combater o desmatamento ilegal, caça e outras atividades ilícitas ambientais eventualmente ocorridas dentro da Reserva Extrativista do Rio Cajari.

De acordo com coordenador da Unidade de Conservação, Francisco Edemburgo, o local da apreensão é uma região muito cobiçada por possuir diversas espécies florestais de interesse madeireiro, além da fauna exuberante que atrai caçadores do Vale do Jari.

O coordenador ainda ressaltou que há muito tempo o ICMBio vem recebido denúncias de moradores da Reserva dando conta de que pessoas de fora da reserva estariam entrando, mediante ameaça, dentro da unidade para extrair madeira e caçar, coagindo os moradores, caso estes denunciassem a ação.

Com as reiteradas denúncias, o coordenador deflagrou a operação Tríplice Fronteira para retirar os infratores do local. Ele acrescentou que a Reserva Extrativista do Rio Cajari é uma Unidade de Conservação Federal, área protegida por lei, onde sempre haverá ação de fiscalização integrada entre vários órgãos para coibir o cometimento de ilícitos e crimes ambientais no seu território.

O coordenador destacou que os infratores utilizam o trajeto da Linha de Transmissão (Linhão) e, a partir dele, abrem dezenas de sub-ramais para retirada ilegal de madeira.

O delegado Romie Bradley, titular da 1ªDPLJ, informou que a Polícia Civil de Laranjal do Jari há algum tempo coopera em conjunto com ICMBio para fazer a fiscalização dentro da RESEX do Rio Cajari e que na ocasião da Operação Tríplice Fronteira, a partir de informações de inteligência, as equipes da da PC e ICMBio fizeram adentramento em ramal conhecido como “sabiá”, suspeito de uso exploração madeireira e que, em determinado momento, os sons de motosserras começaram a ecoar dentro da floresta o que dirigiu as equipes para ramais secundários, onde os suspeitos foram presos em flagrantes, alguns ainda cortando a madeira com o motosserra na mão.

As equipes também encontraram nas proximidades dois ramais para escoar cargas pesadas, o que demonstra que o grupo estava articulando a passagem do material ilegal de dentro da Reserva Extrativista.

Em relação ao crime, o delegado Romie ressaltou que os flagranteados responderão por causar dano direto à Unidade de Conservação, de acordo com art. 40 da Lei dos Crimes ambientais. Os presos passarão por Audiência de Custódia e ficarão à disposição do Judiciário Federal.

Agora o ICMbio irá encaminhar um relatório para Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal (PF) para apurar quem comandava a exploração ilegal de madeira dentro da Unidade de Conservação Federal.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

Outras Notícias