Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Gato Preto, dono de extensa ficha criminal, perde a vida em confronto com o Bope no Macapaba

Um criminoso, detentor de uma extensa ficha criminal, morreu na tarde desta sexta-feira (24), em uma troca de tiros com policiais militares da Ronda Ostensiva Tática Motorizada (Rotam) – 1° companhia do Bope, no habitacional Macapaba II, na zona norte de Macapá.

Breno de Jesus Cunha, conhecido como “Gato Preto”, estava sendo procurado pela Justiça. Contra ele havia pelo menos cinco mandados de prisão em aberto.

“As equipes de serviço receberam a denúncia que ele estaria homiziado em um dos apartamentos do conjunto e, com o apoio do 2° batalhão, desencadeamos uma operação saturação naquela região. Conseguimos localizar o indivíduo e, mesmo com a expressa ordem de parada, de modo agressivo e violento, ele sacou uma arma e efetuou tiros em direção aos policiais. Foi necessário reagir a altura e o elemento veio a sucumbir”, detalhou o tenente Williman, comandante da equipe de Rotam.

Segundo a polícia, Gato Preto era envolvido em uma série de roubos a residências na zona norte da cidade. Ele liderava uma quadrilha especializada nesse tipo de crime.

“Em Junho do ano passado, ele atirou na cabeça de um policial militar para roubar sua arma. Por pouco o companheiro não veio a óbito. No início desse ano, ele vitimou outro PM. Mais um vez, com o mesmo modo operandes, chegou com três, quatro indivíduos, todos armados, invadiram a residência e espancaram o policial, a família dele, inclusive as crianças foram agredidas e ameaçadas”, lembrou o oficial.

Outra características de Gato Preto e seu bando, era obrigar suas vítimas a fazerem transferências bancárias, via pix. Mesmo sendo especialista em roubos, o bandido, segundo a PM, também era responsável por executar rivais da organização criminosa a qual pertencia.

“Esse tipo de criminosos é free lance. Ele atua de acordo com a demanda criminosa do bando que ele faz parte”, finalizou Williman.

Jóias, telefones celulares e dinheiro de origem dúvida, foram encontrados no apartamento que Gato Preto estava. O material foi apreendido e apresentado na delegacia, juntamente com a arma de fogo – um revólver calibre 38 -, que ele usou pra abrir fogo contra a polícia.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

Outras Notícias