Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Parque Aeroportuário: 1400 famílias vivem o drama e o medo da desocupação

Após decisão do juiz federal Jucelio Fleury Neto, cerca de 1400 famílias amapaenses vivem o drama e o medo de serem despejadas dentro dos próximos 30 dias da área de denominada Parque Aeroportuário, na zona norte de Macapá.

Outras 600 famílias, que vivem às margens da Rodovia Norte-Sul e em área próxima do Residencial Miracema também serão atingidas pelo processo de reintegração da área que pertence à União Federal (Infraero) e que corre na Justiça Federal desde 2008.

As famílias vivem dias de desespero e incertezas. Segundo o líder comunitário Natanael do Anjos, a grande maioria das pessoas que ali residem é muito carente e não tem para onde ir “São centenas de famílias carentes. Com crianças, idosos, pessoas doentes. Nós só queremos o direito a nossa moradia. Muitas pessoas nem estão dormindo, apreensivas com a possibilidade de sair do local”.

Uma manifestação está prevista para ocorrer nesta terça-feira (26) na frente do Palácio do Setentrião: “Há um decisão do Ministro Barroso na ADPF 828 que está sendo desrepeitada. Ele garante nosso direito de moradia. O governo do Estado precisa abrir diálogo com os moradores e encontrar uma saída para essas famílias”.

Em 2022 uma vistoria da Justiça Federal constatou o caráter consolidado das ocupações do Parque Aeroportuário. ” Aqui tá tudo organizado. Lotes padronizados, ruas alinhadas com o bairro Infraeo 2, espaço para áreas e equipamentos publicos, escolas e tudo mais” afirma Natanael.

A SPU (Superitência do Patrimônio da União) afirma que há uma solicitação e um entendimento, protocolado em 2014, para o repasse da área para o Governo do Amapá, que pretende construir na área novos conjuntos habitacionais e um Centro de Convenções.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

Outras Notícias

CNJ afasta magistrado do Amapá

O ministro Luis Felipe Salomão, corregedor Nacional de Justiça, determinou o afastamento cautelar do juiz da vara de Execuções Penais de Macapá/AP, João Teixeira de

Leia Mais »