Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Governo do Amapá apresenta novo fluxo de atendimento do HE

Em apenas 9 meses, o prédio foi totalmente reformado para proporcionar acolhimento aos pacientes e profissionais.

O Governo do Amapá apresentou nesta terça-feira, 17, o novo fluxo de atendimento do Hospital de Emergências (HE) de Macapá. Após obras de reforma, a recepção e o acolhimento dos pacientes, que estava sendo feito pela lateral do prédio, retorna para a entrada principal, na Rua Hamilton Silva, com um atendimento mais humanizado e informatizado.

Com a saúde como prioridade absoluta, em 10 meses de gestão foram revitalizados mais de 80 espaços dentro da unidade, um investimento de pouco mais de R$ 5 milhões do Tesouro Estadual. Desde o dia 2 de janeiro o HE vem passando por intervenções que ajudam a tornar o ambiente melhor para quem trabalha e, especialmente, para quem busca por atendimento.

“Ainda está muito longe do que queremos para a saúde pública do nosso estado. Lamentavelmente, ainda temos e teremos pessoas no corredor porque hoje a nossa demanda é muito maior que a capacidade atual do Hospital de Emergência. Apesar de todos os reforços, nesse momento, por exemplo, estamos com 12 pacientes no corredor do HE aguardando um leito. E isso só vai melhorar de fato, com a construção do novo HE e toda a retaguarda da saúde, com a abertura de novos leitos nos hospitais em obras em municípios como Santana, Oiapoque, e Porto Grande”, pontuou o governador Clécio Luís.

Com o novo fluxo, os pacientes serão acolhidos e cadastrados em um sistema informatizado, através de senhas e classificação de risco. Com isso, será possível unificar as informações dos usuários em um só prontuário, que poderá ser acessado pelos profissionais em diferentes setores do HE.

“Não é uma inauguração, é o início de um novo momento do HE, porque retorna a entrada pela Hamilton Silva, mas não muda só o lugar, tem também um novo modelo de atendimento. As pessoas vão dar entrada, será feito um cadastro digital, e elas vão receber uma pulseira com a sua classificação de risco. Vão entrar num hospital que durante 9 meses foi totalmente reformado, do telhado aos banheiros. É um hospital que foi todo requalificado para trazer de volta a dignidade das pessoas, até que a gente possa entregar o novo HE, que está na fase final de licitação”, destacou Clécio Luís.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

Outras Notícias