Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Dois comerciantes são presos após laudo comprovar “gato de energia”

A Polícia Civil, por meio da 9ª Delegacia de Polícia da Capital, juntamente com a Polícia Técnico-Científica (Politec) e a CEA Equatorial, realizaram incursões nesta quarta-feira (23), para combater fraudes na captação de energia elétrica em Macapá.

Duas pessoas foram presas em flagrante, acusadas pela subtração de energia.

Segundo a polícia, os presos irão responder pelo crime de furto qualificado e fraude, e podem pegar pena de até oito anos de reclusão e multa, em decorrência de terem sido flagradas subtraindo energia elétrica com ligação clandestina (captação direta da rede), alteração de medidor (estelionato) ou derivação fraudulenta (comumente chamada de “gato”).

Segundo o delegado designado para a incursão, Nixon Kennedy, a ação policial será doravante sistematizada e, nesse momento, se limitou a unidades consumidoras comerciais e industriais, esclarecendo que a concessionária de energia do Estado vem experimentando significativo prejuízo patrimonial com perdas não técnicas, algo em torno de 31% de toda a energia injetada no Sistema, o que significa em um prejuízo anual de quase meio bilhão de reais por ano.

“As subtrações de energia geram inegável diminuição da capacidade de manutenção (energia de baixa qualidade) e de expansão da rede (malha reduzida), além de imediato reflexo no valor da fatura de energia, ou seja, quem paga a conta ao final é o consumidor”, disse Kennedy.

As pessoas presas foram autuadas em flagrante pelo referido crime e submetidas à audiência de custódia no Fórum da Capital, pois não cabe pagamento de fiança nessas circunstâncias.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

Outras Notícias