Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Amapá registra queda de 59% nos crimes violentos em fevereiro deste ano

O resultado das estratégias de enfrentamento à criminalidade, investimentos na segurança pública e valorização dos servidores, adotadas pelo Governo do Amapá, apresentou dados positivos significativos referentes aos registros de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), no mês de fevereiro de 2024, onde foi registrada uma redução de 59,52%, comparado com o mesmo mês no ano passado. 

Foram, ao todo, 42 vítimas de crimes violentos em fevereiro de 2023, contra 17 ocorrências em fevereiro deste ano. Os parâmetros seguem os dados apresentados em janeiro de 2024 quando foi registrada a redução de 60% nos crimes violentos, comparado com o mesmo período do ano anterior.

Em números gerais, no primeiro bimestre de 2024, no Amapá, houve queda de 59,76% de vítimas relacionadas a CVLI. No ano passado foram 82, contra 33 em 2024. Somente em homicídios, a queda foi de 61,04%, com 77 registros em 2023 ante 30, neste ano.

Os índices continuam sendo os melhores já registrados nos últimos 10 anos no Amapá, de acordo com a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

O secretário de Segurança Pública, José Neto, explica que no final de 2022 e início de 2023, os crimes passaram por um momento mais acentuado no estado devido ao confronto entre os grupos criminosos rivais. Porém, a partir de março do ano passado, após identificada a causa principal desses crimes e adotadas estratégias com estudos dos setores de inteligência, foram deflagradas operações para reprimir os crimes.

A partir de setembro, os índices começaram a reduzir significativamente tendo a atuação efetiva das equipes policiais nas operações Hórus, Paz e Mute, que resultaram em uma queda de 54,76% no número de crimes violentos, no período de setembro a outubro de 2023, além da apreensão significativa de armas e drogas.

O secretário afirma que todas as ações serão mantidas para que a redução apresentada nos últimos meses de 2023, observadas também no início deste ano, continue. 

“Uma série de medidas foram tomadas para enfrentar essa situação principalmente em investimentos na inteligência. A atuação integrada dos órgãos de segurança pública e, principalmente, voltar a atenção para o sistema penitenciário, onde diagnosticamos logo no início da gestão, que a maior parte das ordens desses homicídios cometidos em 2022 partiram de dentro do Iapen. Em setembro conseguimos colocar para funcionar a nova unidade prisional, José Eder, para onde transferimos as supostas lideranças dos grupos criminosos e, com isso obtivemos resultados bem exitosos já em outubro, quando observamos a redução de 54% no número de homicídios aqui em nosso estado”, ponderou José Neto.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

Outras Notícias

CNJ afasta magistrado do Amapá

O ministro Luis Felipe Salomão, corregedor Nacional de Justiça, determinou o afastamento cautelar do juiz da vara de Execuções Penais de Macapá/AP, João Teixeira de

Leia Mais »