Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Acusado de matar taxista afirma que recebeu ordem de faccção

Marcelo da Silva Medeiros, de 45 anos, foi morto na manhã desta quinta-feira, 27, no bairro Araxá, na zona sul de Macapá. A vítima, que era taxista, foi executada dentro do próprio veículo, na rua Equatorial.

Segundo informações, dois indivíduos, conhecidos como “Tatá” ou “Correria”, e “Feio”, seriam os autores do crime e fugiram logo em seguida, por uma área de pontes.

Policiais civis, chefiado pelo delegado Ederson Martel, da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (Decipe), compareceram no local. Contudo, o caso será encaminhado para a Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio (DECCP), pois a polícia trabalha com a hipótese de um latrocínio, haja vista que o celular e a carteira porta cédula, com todos os documentos de Marcelo não foram encontrados.

Equipes do 1° batalhão, Batalhão de Força Tática e Batalhão de Operações Especiais (Bope), e do Grupamento Tático Aéreo (GTA), fizeram diligências na região, a fim de localizar os autores do assassinato.

Uma equipe da Ronda Ostensiva Tática Motorizada (Rotam) do Bope, recebeu a informação do possível paradeiro de um dos acusados do assassinato do taxista.

Durante incursões pelas passarelas da rua Nova Esperança, o elemento identificado como Jhonatan Pantoja Gomes, de 20 anos de idade, o “Tatá”, foi avistado, porém, correu e atirou várias vezes, atingindo um morador da região, no braço e no tórax.

A vítima, de 50 anos, foi socorrida pelos milhares e, em seguida, repassada aos cuidados do Corpo de Bombeiros, para ser levada ao Hospital de Emergência (HE).

As buscas pelos criminosos continuaram, desta vez, em uma área de mata e, novamente, Tatá disparou contra os PMs, ao ser avistado. Houve revide, mas o suspeito conseguiu escapar novamente. A polícia continuou fazendo o cerco no local e, minutos depois, recebeu uma denúncia anônima, dando conta que Tatá estaria fugindo em um carro de aplicativo, modelo Gol, de cor vermelha. O mesmo estaria recebendo ajuda de sua namorada e do motorista do carro.

O veículo foi localizado e interceptado na rua Beira Rio, no bairro Santa Inês. O criminoso e seus comparsas se renderam e foram presos.

Na busca veicular foi encontrado debaixo do banco traseiro do automóvel, um revólver calibre 38. A ocorrência foi apresentada no Ciosp do Pacoval.

Na delegacia foi descoberto que contra Braianson Lobato da Silva, de 26 anos, condutor do carro, existia um mandado de prisão em aberto pelos crimes de homicídio e ameaça.

Tatá também tinha um mandado de prisão em seu desfavor e é alvo de investigação em vários inquéritos presididos pelo delegado Kleyson Fernando, titular da DECCP. A única que não tinha antecedentes criminais, era a companheira dele, Francilene Pinheiro de Souza, de 26 anos.

Em depoimento prestado ao delegado Vladson Nascimento, plantonista do Ciosp, Tatá disse que iria permanecer calado. Entretanto, à reportagem do SDB News ele alegou que recebeu ordens das lideranças de uma determinada organização criminosa, para matar Marcelo porque o mesmo teria estuprado uma criança, filha de uma ex-companheira do mesmo.

A versão de Tatá não foi confirmada pela polícia. Tatá, Francilene e Braianson, serão submetidos a audiência de custódia.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

Outras Notícias

PL vai com Furlan em Macapá

O atual prefeito de Macapá, Antônio Furlan, anunciou em suas redes sociais que o Partido Liberal, atual sigla do ex-presidente Jair Bolsonaro, estará em seu

Leia Mais »